Popular Posts

Google+

Feed

Seguidores


E Não Sobrou Nenhum é um clássico dos romances de mistério escrito por Agatha Christie. O nome original da obra é Ten Little Niggers (aqui era O Caso dos Dez Negrinhos), fora mudado nos EUA e posteriormente aqui por causa da relação com racismo. O título faz alusão a uma cantiga infantil tradicional na Inglaterra.

O livro começa com uma apresentação rápida dos personagens durante o caminho que eles percorreram até alcançar a Ilha do Soldado (na versão que li, onde "os negrinhos" do poema foram trocados por soldadinho, não conheço as edições mais antigas). A ilha tinha sido comprada recentemente por um Mr. Owens e vinha sendo cercada de mistérios e fofocas.

Todos os convidados parecem muito diferentes uns dos outros e formam um grupo estranho, como é notado pelo marinheiro que os leva até a ilha em sua lancha. São recebidos por dois empregados, após se acomodarem em seus respectivos quartos eles fazem uma refeição e se reúnem após em uma sala de estar. Aos poucos eles vão percebendo algumas inconsistências nas histórias que os atraíram até a ilha, ninguém parecia conhecer os anfitriões, Mr. e Mrs. Owens, ninguém sequer os havia visto.

É então que um vinil é posto pra tocar e uma voz sinistra acusa a todos os oito convidados e o casal de empregados de assassinato em circunstancias bem diferentes, mas todos praticamente impossíveis de se provar. Todos ficam apavorados e indignados com a aparente brincadeira até que um por um eles começam a morrer, seguindo de maneira macabra os versos do poema, o qual podia ser encontrado na parede de todos os quartos.

Dez negrinhos vão jantar enquanto não chove,
um deles se engasgou, e então restaram nove;
Nove negrinhos sem dormir, não é biscoito!
um deles cai no sono, então sobraram oito;
Oito negrinhos vão a Devon em charrete,
um deles quis ficar, então restaram sete;
Sete negrinhos vão rachar lenha, mas eis
um deles se corta, então restaram seis;
Seis negrinhos de uma colmeia fazem brinco,
a abelha picou um, e então ficaram cinco,
Cinco negrinhos vão ao fórum tomar ares,
um deles foi julgado, então sobraram dois pares;
Quatro negrinhos vão ao mar, a um tragou de vez
o arenque defumado, e então sobraram três;
Três negrinhos vão passear no zoológico. E depois?
o urso abraçou um, e então ficaram dois;
Dois negrinhos brincando no sol, sem medo algum
um deles se queimou, e restou apenas um;
Um negrinho está sozinho, é só um!
ele se enforcou, e não sobrou nenhum.

Os personagens são interessantes, mas eu não decorei o nome de ninguém até que tinha praticamente acabado de ler. A resolução foi uma completa surpresa pra mim e fiquei maravilhado com o quão na cara era a resposta. A narrativa da autora me fez de bobo desde o começo do livro. Cada vez que eu escolhia alguém pra ser o assassino ela me contradizia, um por um, como se adivinhasse o que eu estava pensando.

A leitura me prendeu facilmente e não consegui parar até ter terminado. Se pudesse teria lido ele todo de uma vez, mas eu preciso estudar, dormir, comer, etc. Fico pensando se todos os romances dela são assim tão instigantes.

Copyright © (un)Known Reader | Powered by Blogger
Design by Duan Zhiyan | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com